sábado, 31 de dezembro de 2016

TOP5 (3 em 1): Livros, Filmes & Álbuns


Olá meus amoressss, feliz ano novo!Leram muitos livros esse ano? Olha, tenho que admitir que esse ano foi um dos piores tratando-se de tempo para ler... Escola integral tira toda paciência tal com os livros, é difícil até de se concentrar pensando em provas/atividades/trabalhos da semana, sem falar do cansaço que é demais e eu acabo sempre dormindo antes de acabar um capítulo (rsrs, é sério!). E eu temo que 2017 seja ainda pior, pois estarei estagiando e encerrando meu curso de Portos. É galera, não é fácil não, haha. Mas enfim, mesmo com poucos lazeres que tive esse ano, deu para montar um TOP5 dos melhores livros, filmes e álbuns de 2K16. Vamo lá?




5° LUGAR: Paperboy (Obsessão)
Sinopse: Hillary Van Wetter foi preso pelo homicídio de um xerife sem escrúpulos e está, agora, aguardando no corredor da morte. Enquanto espera pela sentença final, Van Wetter recebe cartas da atraente Charlotte Bless, que está determinada a libertá-lo para que eles possam se casar.

No começo é difícil de entender o propósito pelo qual a obra está sendo escrita e acaba ficando maçante, mas depois das 80 primeiras páginas a coisa começa a ficar louca! E é impossível largar a leitura até termos um desfecho do caralh*... Eu amei esse livro pela estranheza da história e os personagens incríveis (e loucos).


4° LUGAR: O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares
Sinopse: A história começa com uma tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo - por mais impossível que possa parecer - ainda podem estar vivas.

Foi uma das leituras mais gostosas que já tive, a história é fascinante e o desenrolar emocionante. As fotografias do livro dão uma sensação incrível de uma história fictícia que bem que poderia ser real... E isso foi o que mais me encantou♥

3° LUGAR: QUARTO
Sinopse: Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la.


Quem não leu esse livro, faça-me o favor! É o livro mais perturbador e agoniante que li na vida, mas ao mesmo tempo é um dos mais meigos e apaixonantes também. É inesquecível e nos deixa refletindo por dias sobre como será viver na realidade do protagonista, que é apenas uma criança.

2° LUGAR: 1984
Sinopse: Winston, herói de '1984', último romance de George Orwell, vive aprisionado na engrenagem totalitária de uma sociedade completamente dominada pelo Estado, onde tudo é feito coletivamente, mas cada qual vive sozinho. Ninguém escapa à vigilância do Grande Irmão, a mais famosa personificação literária de um poder cínico e cruel ao infinito, além de vazio de sentido histórico. De fato, a ideologia do Partido dominante em Oceânia não visa nada de coisa alguma para ninguém, no presente ou no futuro. O’Brien, hierarca do Partido, é quem explica a Winston que 'só nos interessa o poder em si. Nem riqueza, nem luxo, nem vida longa, nem felicidade - só o poder pelo poder, poder puro.

É sem sombra de dúvidas a minha distopia favorita, aliás o mestre Geoge Orwell não erra mesmo! Assim como "A Revolução dos Bichos", Orwell traz em 1984 mais uma put* crítica a políticas totalitaristas e sociedades omitidas pelo poder de um governo. O livro é tão atual que dá medo perceber que de alguma forma ou de outra, estamos sempre sendo vigiados pelo "Big Brother". Enfim, é um livro maravilhoooooooso e de infinitas utilidades, como meio de estudo ou apenas como uma boa história. Eu amei tudo em 1984♥


1° LUGAR: Half Bad
Sinopse: Nathan, filho de uma bruxa da Luz com o mais poderoso e cruel bruxo das Sombras. O adolescente vive com a avó e os meios-irmãos e é visto como uma aberração por seus pares. O Conselho dos Bruxos da Luz vê nele uma ameaça, que precisa ser domada ou exterminada. Prestes a completar dezessete anos – época em que todos os bruxos passam por uma cerimônia em que seu dom é finalmente revelado bem, como sua denominação como bruxo da Luz ou das Sombras –, agora Nathan terá que correr contra o tempo para achar o pai, que jamais teve oportunidade de conhecer, e salvar a própria pele

MEU DEUSSSSSSSS! Leiam essa saga, plmds! Eu preciso de alguém para discutir esse livro, que se tornou um dos meus favoritos da vidaÉ extremamente envolvente e gostoso de ler, a escrita da autora é maravilhosa e os seus personagens são uns amores! Não tem como não falar desse livro e deixar de lembrar de "Harry Potter" e "Perfect Criature", pois o livro é uma junção dos dois e olha... Foi uma sacada perfeita! Eu simplesmente estou apaixonado pela saga e não vejo a hora de comprar o segundo livro (estou aceitando de presente). Os personagens são tãaaaaao perfeitos, tem um romancinho que eu adorei e cenas de ação de tirar o fôlego... Com certeza o melhor livro que li em 2016 e espero que a sequência "Half Wild" em 2017, esteja nessa lista novamente!



5° LUGAR: DEADPOOL
Eu nunca fui fã de heróis, não é minha praia e acho que nunca será... Mas tenho que admitir que de todos filmes produzidos pela Marvel até hoje, esse de longe é o melhor na minha opinião. A história é boa, os personagens secundários são ótimos e o protagonista é o mais hilário personagem de qualquer um filme de comédia dos últimos anos.


4° LUGAR: CAROL
É um dos dramas mais lindos que já vi, a atuação das protagonistas são de tirar o fôlego, os olhares das mesmas são tão profundos que não é preciso ser dito nada para interpretar algumas cenas. A fotografia e figurino são extremamente bem colocados durante todo o filme. Ainda não entendi como uma maravilha dessas não possa ter sido indicado ao Oscar de melhor filme.
3° LUGAR: Ex-Machina: Instinto Artificial 
O melhor filme de ficção científica do mundoooooo! Meu deus! É difícil falar sobre esse filme porque ele é um mistério do começo ao fim. Mas se você gosta de tramas futurísticas, essa é a melhor que você pode assistir. É genial, perturbador e muito bem produzido. A atuação é maravilhosa, a história é do caralh* e todo o resto é do caralh* também. Eu iria colocar Ex-Machina em primeiro lugar, mas acho que só estou assim com esse filme porque foi o último que assisti... E seria injusto com os outros que assisti no começo do ano e amei. Por isso, 3° lugar

2° LUGAR: O Quarto de Jack
Essa é a adaptação cinematográfica do livro que coloquei em 3° lugar na lista de livros desse ano. Assim como a obra literária, o filme é lindo e assustador ao mesmo tempo. Nunca vi a atuação de uma criança tão bem apresentada quanto ao deste filme, eu simplesmente fiquei maravilhado. O clímax do filme se mantém do começo ao fim, a sensação de angustia não para até os créditos finais. Ou para mim, até pelo menos algumas horas depois de assistir.

1° LUGAR: Invocação do Mal 2
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA! Quem assistiu o filme sabe o porque do primeiro lugar, né? "Invocação do Mal 2" é o terror cinematográfico mais assustador dos últimos anos. Isso se dá pela história baseada em fatos reais muito bem produzida, o clímax do filme é assustador, os cenários e figurinos são maravilhosos entrando em contexto com a real família. A atuação mais uma vez é incrível, assim como no primeiro, mas essa as crianças são o ponto forte do filme. Merece o 1° lugar porque sou péssimo para levar sustos, mas esse me tirou do sério (ou melhor, da cadeira de tantos pulos...rsrs). 




5° LUGAR: Anavitória (Anavitória)





Música favorita: Agora Eu Quero Ir


4° LUGAR: Joanne (Lady Gaga)





Música favorita: John Wayne

3° LUGAR: Starboy (The Weeknd





Música favorita: Starboy

2° LUGAR: Remonta (Liniker e os Caramelows)





Música favorita: Tua



1° LUGAR: Art Angels (Grimes)





Música favorita: Kill V. Maim





Espero que tenham gostado meus etzinhos Espero que leiam, assistam e ouçam algo dessa listona... Prometo que vai gostar! Um feliz ano novo, muita felicidade e paz no coraçãozinho de todos vocês e espero que 2017 seja tão doce quanto um cupcake



sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Hora da Pipoca: 3%

Oláaaaaa terráqueos, tudo bem? Espero que sim! Antes de tudo, devo as minhas sinceras desculpas por  passar tanto tempo sem postar nada e sem dar notícias. Mas amo esse blog e adoro escrever para vocês, então não se preocupem que mesmo com a demora e dias (talvez meses) sem escrever, eu estarei postando novamente sobre alguma coisa logo logo. E hoje trouxe a indicação de uma série maravilhosa que andei assistindo nos últimos dias, espero que gostem da minha crítica de 3%, a nova série brasileira comprada pela Netflix.  AAAAAaaAAA que saudades de escrever♥
É isso mesmo, uma série nacional está no catálogo de séries originais da Netflix!♥

A série se passa em um mundo distópico onde a maioria da sociedade vive em condições precárias no chamado Continente, sobrevivendo ao caos de constantes violências e a escassez de água e comida. A única maneira de sair dessa situação é enfrentando aos 20 anos o sistema seletivo - e cruel - Processo

O Processo conta com uma série de provas e testes que testam as aptidões e resistência dos participantes, sendo responsável por selecionar apenas 3% dessa sociedade que vive em miséria para o desejado Mar Alto, local onde a paz reina, os recursos são fartos e a vida é digna. 

Entretanto, A Causa, um grupo revolucionário do Continente, deseja derrubar essa organização desigual estabelecida na sociedade.

Já no primeiro episódio de 3%, "Cubos", adentramos a sociedade injusta e o sistema desigual que é o âmbito da série. 

O elenco é razoável, a atuação deixa a desejar de alguns personagens, dentre eles uma das protagonistas, Michele (interpretada por Bianca Comparato), que é uma das personagens mais sonsas que vi em todas séries assistidas até hoje. Não sei se era a intenção do diretor quanto a personalidade carregada por Michele, mas se odiá-la e desejar a todo episódio novo que ela morra foi sua ideia, ele severamente cumpriu sua tarefa. O mesmo não posso dizer de Joana (interpretada Vaneza Oliveira), que é amada por maioria dos espectadores da série, onde representa o Brasil de raiz: é empoderada e não leva desaforo para casa. DONA DA PORRA TODA!!! Outra atuação que merece grande méritos é o da Mel F., que nos entrega uma das cenas mais emocionantes dos 8 episódios.

Por se tratar de uma distopia o enredo deixa de ser original, mas não deixa de ser bom. Temos em 3% claros traços e referências a filmes contemporâneos que estamos cansados de ver, "Jogos Vorazes" e "Divergente" é um deles. Além de livros com a temática como "Admirável Mundo Novo" e "1984". Mas a ideia é genial quando encaixada em um contexto brasileiro, com constantes marcas do Brasil durante os episódios. Uma delas é o uso do pau-de-arara, instrumento popularmente usado na Ditadura Militar aqui no nosso país. E usar artimanhas como essas foi para mim um dos pontos fortes da série.

As provas enfrentadas pelos participantes do Processo, são outro ponto forte da série, pois o modo como mudam de tom de um teste a outro são incríveis. Mas não vou falar muito sobre elas porque acabará perdendo a graça para quem ainda irá assistir. Devo apenas dizer que o dinamismo e câmeras trabalham para construir cenas intrigantes e uma tensão gostosa do começo ao fim.

Já o trabalho de fotografia da série é o que mais me incomoda, tendo em vista o financeiro da série ser da Netflix, eu esperava mais verba na fotografia da trama como nas outras séries desenvolvidas pela queridinha Netflix, mas as de 3% são uma vergonha. Sério, eu odiava os relances de câmera mostrando o prédio Processo de cima com o "paraíso" pós apocalíptico desértico. 

A trilha sonora é uma das coisas que me fez amar essa série, as músicas que tocam em algumas cenas foram delicadamente selecionadas. Há um nuance entre a trilha sonora a cada corte de câmera que valem pelo episódio todo. Uma das minhas favoritas é a do episódio 5: Água que é meu episódio favorito da série.

Por fim, 3% é uma série maravilhosa que deve ser orgulho de todos brasileiros que não acreditam no potencial cinematográfico do seu país. Conta com atuações boas, enredo consistente e algo que jamais vimos e esperávamos ver no âmbito desenvolvido. Mas falta a Netflix apostar no crescimento da série e trazer uma segunda temporada corrigida de todos os erros cometidos na primeira.

Nota 8/10: 

domingo, 18 de setembro de 2016

Playlist: Domingo

Oláaaaa, meus amores! Como vão? Tudo bem? Espero que sim! Neste de domingo, ouvindo música adoidado na tv da sala, decidi escrever esse post playlist pra vocês. Se trata de uma playlist com a cara do meu domingo, músicas que costumo escutar domingo de manhã e repeti-las tudo no fim da tarde... E mais uma vez antes de dormir. Então se prepara para uma playlist bem bipolar, com direito a hinos de bad (até porque domingo feliz, não é domingo) e aquele som babadeiro! Se liga!

                                                          
               
                                                      
                                
                 
                 
                
                 
                 
                 
                
               
               
              
                                  
          


                                                                                                




domingo, 28 de agosto de 2016

Destino

Música tema
                 
          Eu nunca pensei que me apaixonaria por mais alguém. E no fundo eu sabia que isso era uma lorota, que logo meu coração idiota iria bater mais forte por outro sorriso. E que consequentemente, também iria sentir alfinetadas agudas por decepções... De novo. Mas toda vez que ele me olhava com aqueles olhos castanhos, eu me esquecia disso. Na verdade, eu me esquecia de tudo. 
Domingo, 10 de Julho de 2016, às 16h30min17s. Ela  senta em um banco sombreado e vazio de uma praça, abre um clássico do Machado e o lê despreocupada com o caos em volta.
Domingo, 10 de Julho de 2016, às 16h34min25s. Ele avista o banco e a garota - mas não seu rosto - lendo um livro. Curioso para saber qual o título da obra, ele se aproxima e anda lentamente em zigue-zague.
Domingo, 10 de Julho de 2016, às 16h36min28s. Ela desconcentra-se da leitura com a sensação incomoda de está sendo observada e ligeiramente levanta a cabeça fechando o livro. Ela o vê.
Domingo, 10 de Julho de 2016, às 16h36min32s. Ele envergonhado pede desculpas. E logo se senta no canto do banco, em uma distância grande considerando um banco tão pequeno.
Domingo, 10 de Julho de 2016, às 16h36min35s. Ela diz que ele não a atrapalhou e que o livro realmente estava maçante. 
Domingo, 10 de Julho de 2016, às 16h36min42s. Ele logo dispara a pergunta que queria ter feito desde que havia visto ela. 
Domingo, 10 de Julho de 2016, às 16h36min44s. Ela o responde.
Domingo, 10 de Julho de 2016, às 16h36min45s. Ele entusiasmado fala que já leu o livro e que é um dos seus favoritos.
Domingo, 10 de Julho de 2016, às 16h36min47s. Ela diz que é um dos livros mais chatos que leu na vida. E que é a segunda vez que tenta terminar a leitura.
Domingo, 10 de Julho de 2016, às 16h36min52s. Ele por alguns instantes não sabe o que dizer para convencê-la de que o livro é realmente bom. Mas depois de um silêncio constrangedor, ele fala que o final do livro é o que o faz ser tão bom.
Domingo, 10 de Julho de 2016, às 16h37min03s. Ela diz que não consegue passar da metade do livro e ri pela ocasião.
Domingo, 10 de Julho de 2016, às 16h37min07s. Ele assiste o deslumbrante sorriso dela e pergunta o seu nome. 
Domingo, 10 de Julho de 2016. Eles conversam e riem aquele fim de tarde inteiro, trocam números e marcam de se encontrarem no dia seguinte no mesmo banco.
       A maioria dos dias do ano são comuns. Eles começam e terminam, sem nenhuma memória durável nesse tempo. A maioria dos dias não tem impacto no decorrer da vida. Mas aquele dia foi diferente.
     Em uma tarde de crepúsculo quando andava desamparada depois de um término de namoro de cinco anos, eu o conheci... O mais novo amor da minha vida. Estava eu lendo numa praça, coisa estranha de se fazer depois de uma dessas, mas foi a única coisa a se fazer que me passou pela cabeça no momento. Então ele apareceu interrompendo a minha leitura, e eu agradeci por isso. Imagina só se aquele se estranho passasse por mim como um devaneio? Se ele não tivesse sentado naquele banco? E invés disso ter saído de fininho sem prestar contas? Mas não, ele ficou. Não que ele tivesse de ficar, ele quis ficar. E se eu não tivesse ido para aquela praça? E invés daquela praça eu tivesse ido para outra? A uma cafeteria, ou sei lá, uma biblioteca? Mas não, eu estava ali. Eu quis estar ali. E para minha sorte, sentada naquele banco e não em qualquer outro.




terça-feira, 5 de julho de 2016

Lista de Presentes - 17 anos♥

Oláaaaa terráqueos! Tudo bem com vocês, meus amores? Espero que sim! O post de hoje é importantíssimo e merece ser divulgado com o Brasil inteiro. Estou falando da lista de presentes que euzinho adoraria ganhar nesse aniversário de 17 anos, no dia 19/07. Decidi postar no blog porque algumas pessoas vem me perguntam o que eu gostaria de ganhar, então para facilitar a repetição e poupar a minha linda voz... Nada melhor do que um post fixo. Então segura a lista ai!

Livro: O Orfanato da Sra.Peregrine para Crianças Peculiares
Livro: Eu, Christiane F. 13 anos, Drogada, Prostituída...
Livro: Laranja Mecânica
Livro: Os Condenados
Livro: A Menina Submersa
Livro: A Rainha Vermelha
Livro: Millenium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres
Álbum: Eu Vou Fazer Uma Macumba Pra Te Amarrar Maldito - Johnny Hooker
Álbum: Blue Neighbourhood - Troye Sivan
Cartas Manuscritas♥
Colares/Pulseiras (EU AMO, pode me dar e pá)
Roupas (tô precisando)
Decoração Tumblr (Amo DIY)
Textinhos no facebook
Abraços Fortes

Bom, essa é a lista completa. Mas é claro que eu não quero ganhar todos esses presentes (e mesmo que eu quisesse não iria ganhar HAHA), então não se prenda a lista que eu ficarei muito feliz em ganhar qualquer coisa, principalmente qualquer livro. Tá mãe?!

domingo, 19 de junho de 2016

Hora da Pipoca: Invocação do Mal 2

Invocação do Mal 2 (The Conjuring 2: The Enfield Poltergeist)
Direção: James Wan
Gênero: Terror
Duração: 2h13 min.

Baseado em fatos reais, "Invocação do Mal 2", acompanha a vida da família Hodgson, que são atormentados por uma entidade maligna que deseja aparentemente tirá-los da casa onde residem. 

A pequena Janet (Madison Wolfe), dentre todos da família é a mais perseguida pela entidade, que logo se apossa da menina.

O caso da família chama atenção da mídia e do investigador Maurie Grosse (Simon McBurney), que liderou uma equipe de durante meses, coletando informações dos fenômenos paranormais que aconteciam na casa. 

Preocupado com a família, o investigador procura a ajuda do casal Warren, Ed (Patrick Wilson) e Lorraine (Vera Farmiga), que são convocados pela igreja até o local para investigar o caso, na Inglaterra. E a mandado da igreja, os demonologistas só devem intervir ou realizar uma sessão de exorcismo, se descobrirem algo que "vale a pena", tais ações para livrar a família atormentada.

Diante do novo caso, Lorraine sente-se incapaz de enfrentar mais uma entidade maligna, depois de ter sensações que a vida de Ed, seu marido e companheiro, possa ser tirada. E mesmo comovida com a situação da família atormentada, Lorraine se desespera ao aceitar a ideia de arriscar a vida do amor da sua vida.

Entre o desejo altruísta de ajudar os Hodgson e o medo de perder Ed, é possível reparar toda a preocupação de Lorraine durante todo processo do caso, seja em um simples olhar ou em ocasiões banais, como um café da manhã em família. 


O filme conta com atuações consideráveis, em destaque Madison Wolfe, que faz o papel de Janet, a menina possuída pela entidade. 

A atuação de crianças em filmes na maioria das vezes são inferiores aos demais atores, e principalmente em filmes de terror, isso é indiscutível. Colocar uma criança pra ficar gritando assustada toda hora é fácil, mas a atuação de Madison Wolfe vai muito além disso.

A atuação de Madison cria uma atmosfera assustadora e sombria, a tristeza estampada em seu rosto dá vida a personagem, a inconformação do que está passando e todos momentos de possessão são impecáveis considerando que são cenas interpretadas por uma criança. O que me lembrou a Linda Brair, em "O Exorcista".

Há também que parabenizar mais uma vez a atuação maravilhosa de Vera Farmiga, como Lorraine Warren.

No filme antecessor a atuação de Farmiga foi de longe a melhor do thriller, e no filme sequência a atriz não perde a chance de arrasar novamente. A determinação do primeiro filme é deixada de lado, mas entra na personagem o ar de desespero, que durante todo o filme só cresce mais e mais. 

O filme foca muito mais no casal Warren do que no primeiro, aqui podemos ver o quanto os dois precisam um do outro. Criando assim um laço de empatia ainda maior com o público

A preocupação do filme não é apenas de mostrar o quanto ele pode ser assustador, mas também é grandioso por incluir em sua história o contraste com períodos, entre a calmaria e medo. Além de mostrar a beleza de uma época recriada com perfeição através de cenários, figurinos e até mesmo objetos de cena.

A fotografia do filme é impecável, as cores fortes das roupas de alguns personagens em contraste com a escuridão dá uma extrema sensação de perigo, junto com a trilha sonora que sem dúvidas é um dos pontos fortes do filme. A sensação de que algo vai acontecer a qualquer momento, mas que propositalmente não acontece é de extremo medo.

O trabalho de filmagem do filme é bastante vasto, cheio de cortes inteligentes e transições de foco bem trabalhados. A sensação de que a câmera está sempre seguindo os olhos dos personagens é incrível, o diretor realmente sabe brincar com o seu público.

As cenas de terror são clichês e não há inovação. Cadeira balançando, móveis se movendo sozinhos e cheios de jump scare. Mas eu não ligo para clichês em filmes de terror, contanto que me assuste, eu me conformo. E isso o filme consegue fazer fácil-fácil, os jump scare de "A Invocação do Mal 2" estão por suas duas horas, não cansa e quase todos funcionam. Sério, algumas cenas eu dei pulos de dois metros da poltrona.

Por fim, "Invocação do Mal 2" é grandioso em filmagem e na arte de dar sustos sem apelar para a facilidade. A história do filme é empolgante e as formas de serem contados também. É um caso raro de uma sequência de terror melhor do que o seu antecessor. O melhor filme do seu gênero dos últimos anos.

Nota 10/10:          
Layout by: Adolescente Nerd | Exclusivo Cupcake Leitor | Don't Copy